Os Pilares da Terra de Ken Follett

3 de maio de 2015

Acabei de ler os 2 volumes de Os Pilares da Terra. Já é um livro antigo, eu sei, mas só me chegou às mãos no início do ano. Demorei algum tempo a começar porque, confesso, uma história sobre uma catedral não me inspirou vontade alguma. Mas, após ler um pequeno prefácio sobre isto, ganhei coragem e, numa noite, sentei-me no sofá, com uma caneca de chá preto a ferver e comecei. Deixem-me que vos diga que, nessa noite, deitei-me já ouvia os pássaros lá fora. Só para que percebam este fenómeno, para quem ainda não conhece, os Pilares da Terra são um livro que, ao contrário do que Ken Follett esperava, não se tornou um grande romance como ele tinha idealizado. Foram-se-lhe fechadas portas porque toda a gente era da opinião unânime de que um romance sobre uma catedral não iria vender tanto quanto os seus policiais.

Este livro não ganhou qualquer prémio, não foi distinguido nem sequer nomeado para nada. E, para um escritor, pior que a crítica, é a indiferença. Que foi o que aconteceu um pouco por todo o lado. Excepto na Alemanha, onde atingiu a venda de 100 mil exemplares em hardcover. Passados alguns anos, Os Pilares da Terra começou a aparecer nas listas das obras há mais tempo nos lugares cimeiros de vendas. Ao serem analisadas as vendas nos EUA, viu-se que o livro vendia 50 mil a cada seis meses (em comparação com as restantes obras de Ken Follett que vendiam cerca de 25 mil em período igual). No Reino Unido, começou a constatar-se que a obra também vendia o dobro que qualquer outro livro do autor.

O que aconteceu? Os Pilares da Terra é um fenómeno que corre de boca em boca. Já lhe pediram centenas de vezes para escrever a continuidade e Ken Follett já disse que o vai fazer. Ao contrário de muitas das grandes obras que vendem por ganhar prémios e nomeações, este, que foi fadado ao fracasso, venceu pelas recomendações. Não se tornou um grande romance porque, na verdade, tornou-se um daqueles livros épicos e de leitura obrigatória.

Para quem me lê, se ainda não têm vontade de pegar nele, ganhem coragem porque vão ficar obcecados logo nas primeiras páginas. A obra começa com o enforcamento de um jovem e com uma maldição lançada aos perpetradores deste enforcamento na Inglaterra do séc. XII. Tudo o que viria a acontecer depois ficaria para sempre marcado por este assassinado injusto e a mudança na história de Inglaterra.

Já tenho comigo a mini-série, que vou começar a ver hoje. Já me disseram bem, já me disseram mal. Estou curiosa.

Para quem já leu, o que me dizem?

Os Pilares da Terra de Ken Follett, publicado por Editorial Presença.

13 comentários

  1. Eu confesso que não li mas vi a mini-série e ADOREI! Sou uma fã de séries que retratem períodos históricos e, com esta, fiquei a ressacar por mais. Se calhar está mesmo na hora de ler o livro. Depois de veres a série, diz o que achaste e se está fiel ao livro ou se ficou a faltar muita coisa :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Tó, eu também adoro séries históricas e já vi 3 episódios e.... gosto, mas como já li os livros sinto que tem estado a ficar tanta, tanta, tanta coisa de fora que fico com vontade de bater no computador :) Aconselho vivamente a leitura dos livros (principalmente agora que já viste a série - porque há muita coisa mal explicada na série porque eles passaram à frente. :)

      Eliminar
  2. Também estava em dúvidas antes de começar a ler mas depois não conseguia parar. É um excelente livro, ao principio achei-o pesado mas não é. Depois de uma pessoa se habituar ao tipo de escrita e às contextualizações, começa a ficar agarrada à história que compreende 3 gerações :) Eu adorei e recomendo a toda a gente.
    Beijinho
    Sofia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa :) Sim, o tipo de escrita de Ken Follett não é das mais leves mas é fácil uma pessoa habituar-se e parece que entra dentro da história :) Beijinho Sofia e obrigada por comentar

      Eliminar
  3. Recomendo vivamente. Os volumes são grandes (os dois com 500 e tal páginas) mas quando o leitor acaba de ler, sente que ficou ainda tanto mais por contar. Eu, pessoalmente, senti que tinha-me ligado tanto às personagens que o final foi abrupto e leria, sem dúvida, um terceiro volume. Espero que o Ken Follett dê uma continuidade como diz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo Jorge, também senti que ficou a faltar muita coisa. O final da história é muito apressado. Ken Follett já disse que o vai fazer, temos de aguardar :)
      Obrigada por ter dado a sua opinião.

      Eliminar
  4. Adorei a ideia de clube do livro :-) estou super curiosa de ver as próximas sugestões de livros. Ando sempre à procura de novidades para comprar.
    Beijinho
    Inês Maria

    ResponderEliminar
  5. Eu gostei mas va não amei. Só li depois de ver a série e os livros são melhores que a série. Isso posso recomendar. Mas como não é o tipo de livro que mais goste de ler, posso dizer apenas que, para quem gosta de grandes obras, a trama está muito bem conseguida, a descrição da época, a brutalidade com que as cenas são descritas e a forma como envolve o leitor. A cena da violação (SPOILER ALLERT) está mesmo nua e crua, arrepiei-me só de ler. Resumindo, concordo que é um livro obrigatório e aconselho um leitor ávido por leituras intensas a ler.
    Cumprimentos
    Maria João Tavares

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria João, não vamos dar spoilers aos futuros leitores :) Concordo, a descrição de muitas das cenas é nua e crua. Muito agressiva mas excelente :)
      Obrigada por ter comentado.

      Eliminar
  6. Ora um tema do qual posso falar :)

    A mim também me aconteceu o mesmo. Comecei a ler e não consegui passar. Dava por mim horas e horas deitada na cama a ler, completamente envolvida pela história.

    Já li aqui que houve quem não tivesse amado, mas eu amei porque embora seja uma história passada numa época com a qual não nos identificamos, é fácil criar uma relação com as questões da injustiça, de como a força e a guerra vencem a honestidade e como sentimos que quem comete os crimes não paga pelo que fez. No fim, todos pagam, é verdade, mas um leitor fica completamente envolvido por todos estes sentimentos que a obra vai despertando ao longo da leitura.

    Eu não só recomendo, como também concordo que é um livro de leitura obrigatória e um excelente presente para se oferecer porque a pessoa vai agradecer :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Marta, é exactamente como diz. Enquanto leitores, somos confrontados com todas estas questões de justiça e impotência que vamos sentindo, tal como as personagens sentem.
      Obrigada por ter comentado e recomendado :)

      Eliminar
  7. Nunca ouvi falar nesse livro (também acho que nem foi publicado aqui no Brasil). Mas AMEI a ideia do Clube do Livro!!! Tbm sou dessas que fica lendo de madrugada e, quando percebe, já está amanhecendo :) Só troco o chá pelo café hahaha

    ResponderEliminar

Latest Instagrams

© Helena Magalhães. All Rights Reserved. Design by Fearne.