o amor é outra coisa #22 O que é que as mulheres querem? Que os homens tenham iniciativa

9 de novembro de 2015


Este é um tema sensível porque me assumo altamente feminista e odeio padrões patriarcais baseados em normas de género. E dizer que o homem tem de dar o primeiro passo é um pouquito sexista à luz destas ideias. Mas a evolução do ser humano não quis saber deste quesito quando definiu esta norma há centenas de milhares de anos atrás. E, para muitas mulheres, dar o primeiro passo é altamente inibidor e simplesmente não vai acontecer.

Se o Homo Neanderthalensis conseguiu convidar uma mulher para sair e, voilá, dar continuidade à sua espécie, os homens de hoje também o conseguem. Uma vez li num livro de etologia humana que a mulher escolhe o seu companheiro de entre os homens que a escolheram a ela. Ou seja, cabe ao homem abordar uma mulher e a esta aceitar ou rejeitar a abordagem. Isto é muito pré-histórico, eu sei, e as formas como nós, humanos, nos apaixonamos evoluíram com o tempo. Mas as raízes continuam cá e nós, mulheres, gostamos de ser cortejadas. E isto não é antiquado, é intemporal.

E é exactamente aqui que quero chegar - o que é que se passa com os homens de hoje?


Conversas pelo Facebook, trocas de chats pelo Whatsapp e "temos de combinar qualquer coisa" não é cortejar. E atenção que eu também acho esta palavra demasiado brega. Mas se conhecem uma mulher que vos interessa, não se podem limitar a mandar umas mensagens, a meter uns likes no Instagram e a esperar que ela faça o resto. É preciso ter cojones para dar o primeiro passo, eu sei, e o medo da rejeição toca-nos a todos. Mas se uma mulher não faz nada pode simplesmente significar que está à espera que vocês façam. Ou pode não estar interessada mas, normalmente, os nossos sinais são basicamente muito óbvios.

Se conhecem uma mulher e gostam dela, então trabalhem para a conquistar. Porque é assim que tem de ser. Uma mulher não cai imediatamente nos vossos braços, ou na vossa cama. Nós esperamos muito mais que isso. Vão ter que nos provar que valem a pena, vão ter que nos mostrar que não andam a picar o ponto aqui e ali e, acima de tudo, que podemos confiar em vocês. E, quando isso acontece, nós baixamos a guarda e retribuímos da mesma forma. Isto, meus senhores, é cortejar. E esta é uma fórmula que tem funcionado muito bem nas últimas centenas de milhares de anos e que começa de forma muito simples: vocês dão o primeiro passo.

Já perdi a conta à quantidade de homens que, eventualmente, até eram interessantes mas que ficaram a engonhar com conversas de treta ao invés de me convidarem para sair. Eu já o fiz, já dei alguns primeiros passos. Uns correram bem, outros não. Mas cheguei a um ponto em que se um tipo simplesmente não tem confiança para me dar um dia e uma hora para nos encontrarmos, dificilmente vai ter pedalada para o resto. E as mulheres gostam de homens confiantes - de homens com quem podem contar para tudo. Este é o atributo #1 que procuramos em vocês. 

Por isso - se falam com uma mulher, se lhe mandam mensagens e se ela responde, se ela se mostra acessível, se ela até inicia algumas conversas convosco, se vos conta coisas da vida dela, isto, meus senhores, são os nossos sinais. Nós estamos interessadas em vocês. E queremos que nos convidem para sair. Tipo, agora!

Claro que tudo isto só faz sentido se o vosso objectivo é conhecê-la e não apenas levá-la para a cama. Se é isso que querem, saiam já daqui porque estes textos não são para vocês.

6 comentários

  1. Eu até concordaria com tudo isso. Mas há uns meses dei o primeiro passo com um rapaz (i.e., estávamos a falar sobre um filme que ambos queríamos ver e desafiei-o a ir vê-lo comigo) e hoje em dia... namoramos. É certo que o passo derradeiro (estarmos a conversar e ele dar-me a mão e, depois, beijar-me) foi ele que o deu. Mas a primeira iniciativa foi minha. Talvez porque eu tenho a mania de tomar a iniciativa na maior parte das coisas que faço, talvez porque gosto de ter o controlo, talvez porque, noutras situações, me cansei de esperar que tomassem a iniciativa ou talvez porque já me arrependi de não a ter tomado.

    Desta vez, não me arrependi nada de ter tomado. Valeu a pena o medo de ser rejeitada, valeu a pena virar os estereótipos e as estipulações milenares. Valeu a pena :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também sou um bocadinho como esta anónima. Como adoro estar no controlo, prefiro ser eu a mexer os cordelinhos. Sabemos que é pouco provável que uma mulher seja rejeitada por um homem e, por isso, antes de lhes saltarmos para cima devemos perceber se vale a pena. Se ele não quer apenas isso.
      Comigo a arte da corte não serve. Ou há química no(s) primeiro(s) contacto(s) ou nada feito. Não me apaixono com as tentativas de sedução de alguém, quanto muito fico entediada.
      Se houver química, deixam logo de haver joguinhos...

      Eliminar
  2. Ahahah adorei a parte em que isto já dá resultado há milhares de anos. Porque é tão verdade.

    Concordo com tudo, tudo, tudo! :D

    ResponderEliminar
  3. Precisava que todos os meus ex lessem isto lol

    ResponderEliminar
  4. A serio!! Todos os homens têm de ler isto. Não tirava nada deste post porque é exactamente isso :-)

    ResponderEliminar

Latest Instagrams

© Helena Magalhães. All Rights Reserved. Design by Fearne.