Faltam 4 dias para o Rock in Rio Lisboa

15 de maio de 2016




O Rock in Rio foi o primeiro festival a que fui, andava no primeiro ano da faculdade. Lembro-me de ter visto Britney Spears e os Black Eyed Peas e ter ficado fascinada, ali no pico dos meus 18 anos, com todo o ambiente, o espaço, os milhares de pessoas a cantar o mesmo. Senti-me como se fizesse parte de algo muito maior do que eu. E desde então, não houve um único ano de Rock in Rio a que não tenha ido. 

Em 2006, lembro-me de ter adormecido no chão a meio de Jamiroquai depois de uma das minhas amigas ter desmaiado desidratada em Ivete Sangalo. No dia seguinte, ganhei bilhetes para ver (o amor da minha vida) Guns n' Roses (e toquei-lhe na mão na grade, atenção) e obriguei as minhas amigas - que odiavam Guns n'Roses - a ir comigo. Tive um dos momentos da minha vida. Elas não.


Em 2008, estava, como se podia esperar, em ânsias para ver Amy Winehouse. O meu namorado da altura deu-me um livro sobre a vida dela antes do concerto, tal era a minha excitação. Lembro-me de bater palmas no carro sempre que passava um anúncio relativo ao concerto dela e de, numa das vezes, ele me ter perguntado "vais mesmo bater palmas sempre?". Vou. E bati. E chorei, ao vê-la naquele concerto estranho. Mas devo ter sido, provavelmente, a única pessoa que gostou por sentir que, mesmo no pico da sua queda, ela estava realmente a fazer um esforço.

Em 2010, fui ver Elton John e Leona Lewis com uma amiga a quem tinha oferecido o bilhete e que, a meio de Elton John, disse que estava farta e queria ir embora para ir ter com um tipo a uma discoteca. Como estava de boleia com ela, também tive de ir. Não se ama alguém que não ouve a mesma canção, certo? Hoje em dia, já não somos amigas.

Em 2012, claaaaro que fui ver Maroon 5, Stevie Wonder e Bryan Adams. Foi dos anos que mais gostei - a nivel de alinhamento - mas 2014 também se tornou especial por ter estado lá todos os dias. Foi o primeiro ano em que vivi um Rock in Rio intensamente e nunca me vou esquecer do concerto absurdo (de tão bom que foi) de Justin Timberlake. Lembro-me de estar de coração partido, a ver o concerto com um casal e a chorar piamente no meio da multidão. 

Já quase que sinto que faço parte deste festival. Os meus pés pisaram por lá todos os anos e embora, em 2016, não haja nenhum nome que me faça tremer o coração, não o podia perder por nada. Muitas das memórias que tenho dos últimos 10 anos da minha vida, envolvem este festival. Do tipo por quem tinha uma paixoneta e que, em Stevie Wonder, me deu o casaco dele para vestir (com as minhas amigas a filmarem-me ao lado dele, enquanto eu fazia caretas), das amigas que me deram a mão durante Amy Winehouse e vieram atrás de mim para Guns N'Roses (haverá mais prova de amizade que isto?), de dançarmos todas agarradas em Bryan Adams ou Ivete Sangalo.

Agora já não tenho idade para paixonetas e saltos mas 2016 surge para mim como palco de novas memórias. Quero ver Ariana Grande, Maroon 5 (novamente), Bruce Springsteen e Queen + Adam Lambert. E espero ter coisas giras para vos contar no fim. 

Para quem ainda está indeciso, eu já lá andei ontem e este ano, a celebrar os 30, há algumas coisas novas: pool parties, cozinha de autor, a Rock Street totalmente dedicada ao Brasil e com artistas de rua todos os dias, vai haver um palco de street dance onde o público pode subir ao palco para mostrar os seus dotes e outras coisas. 

Com sorte para a semana já vai estar mais calor, mas deixo-vos um cheirinho :)







Rock in Rio Lisboa, dias 19, 20, 27, 28 e 29 de Maio de 2016.
Fotografias tiradas por Faz de Conta Fotografia e Organização

2 comentários

  1. Ahah também tenho tantas memórias no Rock in Rio, principalmente o concerto que vim com um namorado de quem gostava tanto. Ai nostalgia :-)

    ResponderEliminar
  2. Opaaaa ainda estou a ver se consigo ir ou não! Quero TANTO!!!

    ResponderEliminar

Latest Instagrams

© Helena Magalhães. All Rights Reserved. Design by Fearne.