Arte portuguesa #2 Aly John

19 de setembro de 2016 2750 Cascais, Portugal




O que é ter um blogue, então? É isto que tenho muitas vezes de responder a pessoas (fora deste meio) que, quando sabem que tenho um blogue me perguntam logo se sou daquelas dos looks do dia e das reviews de produtos de beleza. E eu digo que não, bem, não é bem assim, é mais ou menos, pronto, sim é mas eu não sou assim. E não me interpretem mal, eu sigo blogues que fazem looks do dia e reviews de produtos de beleza e gosto. Gosto mesmo. O problema é que, à data de hoje, 90% do que se encontra pela internet fora não tem conteúdo relevante, interessante ou, em última análise, fidedigno e credível.

E talvez mais gente se identifique com o que vou dizer: hoje em dia, dizer-se que se tem um blogue é imediatamente conotado como alguém fútil e tonta. Eu passo por isso todos os dias. E, algumas vezes nos últimos dois anos e meio, cheguei a ter vergonha de o dizer. Ou cheguei a evitar dizê-lo (em contexto profissional) para não perder a credibilidade.

O que é ter um blogue, então?, perguntam-me muitas vezes. Para mim é construir narrativas que possam, de alguma forma, envolver os leitores, inspirar-vos e poder, nem que seja durante dez segundos, fazer-vos um pouquinho mais felizes. É escrever sobre amor, sobre a vida, sobre tudo e sobre nada. É mostrar sítios que gosto, coisas que me marcaram e aquilo que realmente tem algum impacto na minha vida e que sinto que vale a pena partilhar.

Acredito fielmente que todos nos inspiramos uns aos outros. Vivemos num ciclo onde inspiramos e somos inspirados diariamente e constantemente. É por isso que, neste blogue, só aceito que entrem as coisas e/ou as marcas de que gosto mesmo ou que me inspiram, por assim dizer. Perdoem-me todas as marcas que me contactam e eu não dou resposta mas, muitas vezes, não sinto que seja a pessoa certa para falar delas. Porque se não me apaixonam, de que forma poderei fazer os leitores apaixonarem-se por algo que não me toca? É como as cores: eu odeio o laranja mas há milhões de pessoas no mundo a amá-lo. E outras tantas que se vão apaixonar por essas marcas.

E uma das coisas de que já falei muitas vezes aqui é o quanto adoro projectos portugueses, pessoas que vão atrás daquilo em que acreditam e que constroem o seu pequeno castelo a partir de nada. São histórias assim que me inspiram todos os dias a continuar a escrever e que me dão um gosto danado falar sobre elas. Como a Aly John, uma marca de gangas onde cada peça é feita à mão e que nasceu do sonho de um jovem em criar uma marca de jeans com a ajuda dos seus dois tios alfaiates. 30 anos depois, a Aly John cria peças únicas, especiais e exporta essencialmente lá para fora mas não deixa de ser uma marca portuguesa (e do norte, carago!) a vingar e a levar o nome de Portugal atém fronteiras.

O blusão que tenho vestido é Aly John e o copo onde tenho estado a transportar o meu chá todas as manhãs é da Mr. Wonderful - mas isto é um tema para outro post. Espero que se apaixonem da mesma forma que eu me apaixonei :)













Blusão, Aly John; calças, Zara; óculos, Aldo Shoes; Caneca, Mr. Wonderful.

7 comentários

  1. Bom dia Helena,

    Se é apaixonada de Cascais e particularmente do Guincho, convido-a a visitar o REAL CLUBE DE CAMPO DOM CARLOS I.
    Poderá fazê-lo pessoalmente ou em www.clubedcarlos.pt.
    É um paraíso escondido nas dunas a 250 metros do local das suas fotografias.
    Abraço,
    Rui Calheiros da Gama
    Presidente do RCCDCI

    ResponderEliminar
  2. gosto destes looks posts com substância!

    beijinho,
    Moi by Inês

    ResponderEliminar
  3. Ter um blog qualquer pessoa pode ter, ser completamente original já é mais difícil. É por isso que gosto do teu, sigo há mais de um ano e continua a sentir que é tudo genuíno. Parabéns Helena :-)

    ResponderEliminar
  4. As fotos estão maravilhosas Helena. Quanto ao texto, de acordo, acho que já sabes :)

    ResponderEliminar
  5. O que eu mais gosto em ti Helena é mesmo o facto de dizeres as coisas sem papas na língua e sem medo de seres atacada. Percebo mesmo o que dizes quando dizes que podes ser interpretada como tonta e fútil, porque a maioria das bloggers passa essa imagem. Fico a vê-las no snapchat, a cantar no carro para a câmara e a tirar fotografias ao espelho do seu look do dia e nada disso faz sentido. Então, qualquer pessoa que tenha um blog é logo conotado como igual.

    Parabéns por nos inspirares e nos mostrares que ser mulher é muito mais que isso.

    ResponderEliminar
  6. Se falasses sobre tudo, eu não era uma leitora:-p

    ResponderEliminar

Latest Instagrams

© Helena Magalhães. All Rights Reserved. Design by Fearne.