A Amiga Genial de Elena Ferrante

9 de fevereiro de 2017



Depois de ter lido tanto sobre Elena Ferrante, antes do natal comprei o primeiro volume, A Amiga Genial. Vou ser honesta: nas primeiras trinta ou quarenta páginas não me cativou por aí além. Achei a escrita cansativa por ser 90% em descrição e pensamentos. Há poucos diálogos e, para o tornar ainda menos apelativo, este primeiro livro da tetralogia é o período da infância. Mas quando achei que não aguentava mais e ia morrer a ler isto, o meu próprio cérebro entrou dentro da história. Ou então, acabei por me afeiçoar às personagens. Ou, o mais certo, Elena Ferrante utilizou a famosa técnica de prender o leitor - escreve em vaivém. Desvenda algo para, a seguir, retroceder e, mais tarde, voltar a mais mistérios.


Sempre achei que a amiga genial fosse Lila - a personagem que a narradora (ou Elena) está a descrever, a sua melhor amiga de infância e a mulher que, no início do livro, desaparece. Só já quase no fim é que se entende que a amiga genial é a própria narradora pelos olhos de Lila. O que mais gostei neste livro é a escrita crua de Elena, a forma como descreve aquela amizade envolta em obsessão, apesar de me ter incomodado um pouco o facto da narradora se colocar sempre numa posição inferior à sua amiga, Lila.

Também gostei bastante, bastante, bastante da forma como Elena conseguiu criar todo este universo de personagens que vivem no bairro, todas elas cheias de camadas e personalidade, o que nos faz sentir como se lá vivêssemos. E criar muitas personagens não é um trabalho fácil. E por ser um livro em memória, é interessante ler os pensamentos infantis das personagens aos catorze anos misturado com as próprias opiniões da narradora enquanto adulta a recordar esses momentos.

Além disso, quando se chega ao fim deste primeiro volume, consegue-se perceber que isto é uma história de mulheres para mulheres, com personagens que colocam à prova as normas da sociedade e querem ser sempre mais, desafiando tudo e todos em prol do desenvolvimento. E isto é muito #girlpower.

O livro acaba num momento de catálise da história, deixando-nos literalmente em pulgas pelo segundo volume que vou comprar neste fim-de-semana.

A Amiga Genial de Elena Ferrante, publicado por Relógio d'água.

7 comentários

  1. Percebo o que dizes porque senti o mesmo. Agora já estou a acabar o segundo volume (que é estrondoso e muito melhor que o primeiro) mas acho que é o leitor depois habitua-se à escrita de Elena Ferrante e entra completamente dentro do universo de Nápoles e das histórias das amigas. Começa o segundo porque vais ficar agarrada imediatamente :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai ainda não consegui começar o segundo! Estava esgotado quando o fui comprar ontem à noite!!!!

      Eliminar
  2. Nossa, não conheço esse livro e esse post me despertou o interesse em lê-lo. Obrigada por essa dica de leitura.

    xoxo,
    www.naoenrola.com

    ResponderEliminar
  3. E que tal um "spoiler alert" no inicio do post?
    Por sorte parei a meio de uma revelação e não continuei a ler, mas não podia deixar de sugerir que em publicações futuras que exponham um enredo avisasse os seus leitores antes de prosseguirem com a leitura.
    Veja isto como uma sugestão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, mas que revelação é que eu fiz? Não há muito que possa revelar porque este livro não tem um desfecho - a ideia é o leitor prosseguir para o segundo volume. E depois, seria difícil ei fazer um spoiler em 3 parágrafos. Teria de escrever toda uma dissertação de páginas para explicar a envolvência de todas as personagens nesta história. Eu digo que a amiga genial é a personagem narradora? Essa foi a interpretação que eu fiz, não é nada que venha escrito nas páginas. Leia, leia que vai gostar :)

      Eliminar
  4. Eu comprei o 1º livro no verão do ano passado. Li-o em 2 semanas ou menos. Não descansei enquanto não comprei o 2º, e o 3º e o 4º. Fiquei tao impressionada com a riqueza das personagens, e sobretudo como descreve tanto sentimentos qeu nos assolam, sentimentos de insegurança, pequenas invejas até de pessoas que gostamos, essa franqueza acercas das nossas fraquezas prendeu-me e impressionou-me.

    Embora a história ou o desfecho nem sempre vá de encontro às nossas expectativas, adorei os livros e a escrita da autora.:)

    Como é maravilhoso ler bons livros. Marta Costa

    ResponderEliminar

Latest Instagrams

© Helena Magalhães. All Rights Reserved. Design by Fearne.